O que são diamantes artificiais?

Os diamantes artificiais, embora quimicamente idênticos aos diamantes extraídos, são criados por engenheiros em um laboratório. A introdução de diamantes grandes e viáveis cultivados artificialmente provocou uma controvérsia acalorada sobre as vantagens, desvantagens e estratégias associadas a essas novas gemas. À medida que mais pessoas investem no cultivo de diamantes, outras se preocupam com seu impacto na indústria internacional de diamantes.

Muitas pessoas acreditam que o nome de diamantes “artificiais” é um pouco impróprio. Essas gemas não são impostoras, como zircônia cúbica, vidro ou quartzo. Alguns preferem nomes alternativos, como diamantes cultivados, cultivados, de laboratório ou artificiais, semelhantes às palavras usadas para pérolas. No nível cristalino, não há diferenças apreciáveis ??entre as gemas deslumbrantes que emergem do solo e as que emergem de uma câmara de vácuo em termos de corte, clareza ou cor.

Os engenheiros têm sido capazes de criar pequenos fragmentos de diamantes para uso industrial. Os diamantes são as substâncias mais difíceis da terra, para que possam cortar metais facilmente. Por esse motivo, as serras industriais geralmente são equipadas com diamantes lascados ou em pó. Mas somente em 2004 as empresas anunciaram seu sucesso no desenvolvimento de métodos de produção de diamantes cultivados grandes o suficiente para serem usados ??em anéis, colares, pulseiras e outras jóias.

Até o momento, existem dois métodos confiáveis de fabricar diamantes artificiais grandes o suficiente para jóias. Utiliza-se uma “semente” de um diamante menor e coloca grafite derretida adicional (uma forma de carvão) sob enorme pressão e temperatura até que seja adicionada à estrutura cristalina e torne a semente maior. Outro método, chamado deposição química de vapor, CVD, cria uma câmara na qual pequenos pedaços de diamante se precipitam e se condensam juntos, como cristais de gelo, em camadas para formar um depósito sólido. Essas amostras podem ser facilmente coloridas e geralmente não apresentam imperfeições.

Os geólogos certificados têm dificuldade em distinguir os diamantes extraídos dos seus homólogos fabricados. Algumas pessoas acreditam que a linha estrita entre as origens das pedras não é importante. Outros afirmam que os consumidores querem a coisa real e não se contentam com nada artificial porque não é tão especial, valioso ou tradicional.

Outro lado aponta que o monopólio dos diamantes inflou artificialmente seu valor, além de contribuir para equivalentes monetários ideais na troca de armas e trabalho escravo. Essa perspectiva vê a venda de diamantes artificiais como uma alternativa humanitária.

Além disso, vale ressaltar que, mesmo que os diamantes artificiais não substituam os diamantes extraídos nas jóias, eles quase certamente substituirão o silício nos microchips. Essa pedra é muito difícil de superaquecer ou derreter. Os engenheiros já estão desenvolvendo a próxima geração de computadores super rápidos usando diamantes artificiais.