O que é um Tarboosh?

Um tarboosh é um chapéu de homem que normalmente é feito de feltro. Possui uma parte superior plana, sem aba e se encaixa firmemente na cabeça. É comumente usado por homens muçulmanos, por si só ou sob um turbante. O tarboosh também costuma ter um pendão de seda preso ao topo. Vermelho é a cor mais comum para este chapéu.

Derivado da palavra persa sarpush, que significa ‘touca’, o tarboosh também é conhecido como tarbush. Também foi chamado de fez e checheya. O fez é um chapéu originalmente produzido apenas em Fez, Marrocos, e é um pouco menor que um tarboosh. Independentemente do nome, todos os chapéus deste tipo têm uma forma de cone truncado semelhante, que se estreita à medida que se estendem para cima a partir da cabeça.

Este chapéu tem sido popular em várias nações nos últimos 200 anos. Na Palestina, dois tipos diferentes desse cocar eram vistos com freqüência, o tarbush maghribi e o tarbush istambuli. O primeiro tipo era feito de um material macio e tinha uma forma arredondada. Por outro lado, o segundo tipo tinha lados retos e era rígido. Os tarbooshes mais suaves eram usados ??pelos plebeus e as versões rígidas eram usadas pelos homens de poder.

Começando na Turquia, no início do século XVII, o tarboosh era um item obrigatório do vestuário formal para os homens. Isso mudou em 1925, quando o líder dos jovens turcos, Kemal Atatürk, baniu o chapéu em um esforço para tornar a moda turca mais ocidental. Seu decreto não foi aceito bem, resultando em tumultos.

O tarboosh também foi usado como parte do uniforme militar egípcio, sob o governo de Mohamed Ali, que governou o Egito de 1805 a 1848. Dois tarbooshes por ano foram emitidos para soldados. Inicialmente, todos esses chapéus tinham que ser importados, mas Ali encomendou uma fábrica que começou a produzir tarbooshes de fabricação egípcia em 1825. Com o tempo, o tarboosh se tornou o cocar de todos os membros do governo, mas em 1952 o governo republicano do Egito removeu o oficial requisito de desgaste da cabeça.

Em 29 de outubro de 1932, esse chapéu quase causou uma séria ruptura diplomática entre esses dois países. O enviado diplomático do Egito para a Turquia, Abdel Malek Hamza Bey, chegou a uma celebração do Dia do Republicano vestido com seu tarboosh, apenas para ser informado pelas autoridades turcas que ele deveria removê-lo porque sua presença ofenderia Atatürk. Bey recusou e saiu da celebração. Embora o líder turco tenha se desculpado pelo incidente, a posição oficial do governo turco era que nenhum pedido de desculpas havia sido necessário.